Doze histórias um propósito – APÓSTOLO ANDRÉ

“Caminhando junto ao Mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam rede ao mar, porque eram pescado­res.” Mateus 4:18

André assim como seu irmão Pedro nasceu em Betsaida, às margens do Mar da Galiléia. Seu nome “André” tem por significado varonil, forte. Com seu irmão Pedro tinha uma sociedade na pescaria, pois os dois eram pescadores assim como seu pai Jonas e a maioria dos habitantes das margens do Mar da Galiléia.
André dependia da pesca para sobreviver por isso certamente ele seria muito atarefado, mas aparentemente ele se ocupava mais com assuntos da alma do que suas pescas. Com esse desejo pelos assuntos da alma, André largou a pesca e seguiu pelo Vale do Jordão em busca de João Batista, até a cidade por nome de Betânia, localizada alem do Rio Jordão. Ali finalmente ele encontrou João Batista, um homem de autoridade espiritual que vivia segundo o seu coração, fiel e devoto das virtudes mais simples, um homem que não dava importância alguma para a carne e nem o clamor do mundo, um homem verdadeiramente digno de ser seguido, assim era João Batista.

João Batista foi o responsável por direcionar  André nos primeiros passos pela busca da salvação divina, João preparou-se para seu difícil ministério profético retirando-se para o Deserto da Judéia, onde viveu boa parte de sua vida. Vestia-se de maneira grosseira, à moda típica dos profetas e alimentava-se segundo as escassas possibilidades oferecidas pela região. O chamado de Deus em sua vida era visível, e ele ficou reconhecido por todos quando deu inicio a pregação do arrependimento e do batismo para perdão dos pecados. Como está escrito no livro das palavras de Isaías, o profeta: “Voz do que clama no deserto: ‘Preparem o caminho para o Senhor, façam veredas retas para ele. Todo vale será aterrado e todas as montanhas e colinas, niveladas. As estradas tortuosas serão endireitadas e os caminhos acidentados, aplanados. E toda a humanidade verá a salvação de Deus’”. Lucas 3:4-6. Multidões se convenciam que João era um profeta diferente de tantos que já tinham aparecido, acreditavam que ele poderia ser o próprio messias, mas João Batista sabia que ele não era o messias por isso afirmava constantemente, “Eu não sou o Cristo, mas fui enviado como seu precursor” Jo 3:28, “Após mim vem aquele que é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de, curvando-me, desatar-lhe as correias das sandálias.” Mc 1:7. A coragem e a determinação mostradas pelo profeta em seu ministério foram lembradas de maneira especial pelo próprio Senhor Jesus. Foi espelhando em João Batista que André tornou-se mais tarde um discípulo de Jesus, observando a mensagem de João e as muitas vidas que se arrependiam dos seus pecados, sendo batizadas por João para terem uma vida nova em Cristo e uma das maiores senas de humildade, que foi quando o próprio Jesus chegou até João e pediu que João o batizasse.

A parti dali ficou para traz o ministério de João Batista pois André e alguns amigos perceberam que tinha chegado a hora tão esperada, hora de seguir e aprender com Jesus.
André passava a ser então um seguidor de Jesus, juntamente com João, Filipe e Pedro seu irmão. A parti dali, Jesus os levou para uma verdadeira jornada evangélica por toda Galiléia e depois Jerusalém, onde viram os primeiros milagres feitos por Jesus.
Após a morte e ressurreição de Jesus, começou uma perseguição pelos que pregavam a palavra de Deus, e visto isso André foi forçado a fugir para que ele pudesse dar continuidade na missão de Jesus aqui na terra, levar o evangelho para o mundo. A maior parte dos relatos sobre as missões de André destacam-se as regiões da Palestina, Ásia Menor, Macedônia, Grécia e as regiões próximas ao Cáucaso. Entretanto é para a Grécia, que direcionam as mais antigas histórias do seu ministério de evangelismo, e foi ali que ele converteu a mulher do Governador local com o evangelho, e por esse motivo, foi crucificado em uma cruz no formato de X.
Assim foi o fim da missão do apóstolo André, sendo considerado o fundador da igreja em Bizâncio, motivo pelo qual é considerado o primeiro Patriarca de Constantinopla.

DSCN4642

Anúncios
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s